CARNET DE NOTES

wCARNET DE NOTES
André Lemos is Associate Professor, Faculty of Communication, Federal University of Bahia, Brazil. PhD in Sociology, Sorbonne (1995), Visiting Scholar University of Alberta and McGill University, Canada (2007-2008). Coordinator of Cybercity Research Group (UFBa/CNPq) and Researcher level 1 at CNPq. Member of Prix Ars Electronica, Wi. Journal of Mobile Media and Canadian Journal of Communication Board. This Carnet is online since March 1st, 2001.


wArchives

POSTS 2001 - 2010


Links para o Carnet
 

VÍDEO AO VIVO DO CELULAR


DERIVAS AO VIVO!

GPS tracking powered by InstaMapper.com




Visit Ciberativismo


CARNET'S QRCODE

qrcode

IBSN: Internet Blog Serial Number 00-15-12-1997




BIOS

CV Lattes/CNPq

Mini CV

Books

Articles/Papers/Essays

RESEARCH

Program in Contemporaries Communication and Culture

Cybercity Research Group (GPC)

Wi-Fi Salvador

cyBeRpunk (2000) (Finished)

Hypertext (1998) (Finished)

CyberUrbe/ IV SoulCyber (2004) (Finished)

LECTURES BLOGS

Communication and Technology

Mídia Locativa (Finished)

Cyberculture, First Steps (Finished)

Cyber-Philosophy (Finished)

ART PROJECTS

p align="center">TWITTERATURA

IDENTITÉ

SUR-VIV-ALL

Ciberflânerie

https - high tech total popular stickers

Videos

Photos

Windows of the World (Finished)

PUBLICATIONS

404nOtF0und

Cyberculture Mailing List

MY BOOKS











Andre Lemos's currently-reading book recommendations, reviews, favorite quotes, book clubs, book trivia, book lists

Locations of visitors to this page



IDENTITÉ, Montreal, Canada (NEW!)


SUR-VIV-ALL, Edmonton, Canada (NEW!)


WI-FI SALVADOR (NEW!)


CIBERFLÂNERIE (NEW!)


Mais CiberFlâneries aqui (NEW!)



FEEDS DO CARNET


Add to My Yahoo!
Subscribe with Bloglines
Blogarithm
Add to Technorati Favorites!

Bloggers' Rights at EFF

Support CC - 2007

Creative Commons License

Llicenciada sob Creative Commons.


Powered by Blogger.
wThursday, April 10, 2008


Canada Mobile

Cheguei no Canadá com a ilusão que iria comprar um Nokia N95 ou um iPhone a preço de banana e que a conexão à web e outros serviços pelo celular seriam barato e fáceis. Doce ilusão. Os serviços são caros, os telefones, simples e, tirando alguns modelos da Blackberry e da HP é impossível achar nas operadoras um telefone de ponta como os novos Nokia ou o HTC Touch Cruiser, por exemplo (3G, GPS embarcado e computação móvel). É possível comprar no mercado alguns desses aparelhos desbloqueados, a preços razoáveis, mas os custos das operadoras são de assustar.



Alguns dados sobre o atraso canadense. Enquanto em países como Japão e Coréia a telefonia 3G já está na maioria do parque de celulares, só agora ela começa a pegar por aqui. Segundo dados da revista Convergence (n. 50), em 2006 só 1% da população que usa celular no Canadá usava esse tecnologia, enquanto que no Japão esse número supera os 80%. Os canadenses não usam email (e pouco usam SMS) e o uso da web é restrito pelo preço caro do tráfego de dados. Os outros serviços (caixa postal, saber quem ligou, etc, coisas correntes no Brasil) também são caros e as operadoras pedem contrato de 3 anos para oferecer alguma vantagem. No Japão, 85% das conexões à web se fazem pelo celular. Hoje podemos ver por aqui celulares e serviços de acesso a sites sociais, como o Facebook, e telefones com ?video-call?, mas ainda é bastante tímido e caro. Não vi ninguém na rua usando o ?video-call? por exemplo. Os canadenses são os que pagam as tarifas mais caras entre os países desenvolvidos. Vejam dados abaixo comparando as operadoras canadenses (em vermelho) e outras, estando em pior situação que países do terceiro mundo como Ruanda.




Alguns analistas explicam que a situação é assim (preocupante) pelo tamanho do país e pela baixa densidade demográfica. A taxa de penetração dos celulares é bem baixa, 56 telefones para 100 habitantes. Ele está lá pela trigésima posição no ranking mundial. Dados de 2007 indicam 19 milhões de usuários. Só para comprar, no Brasil, por exemplo, já passamos os 124 milhões. Segundo dados da Teleco, apenas em 2007 o número de telefones móveis passou o de fixos, sendo um dos, senão o último país do mundo desenvolvido a ultrapassar essa marca.


Fonte Teleco

Não vemos por aqui serviços de pagamento por celular para entrar no metro, em ônibus ou para pagar o parquímetro, por exemplo. Apenas o uso do Blackberry é mais visível (talvez por se tratar de uma empresa canadense). Fui em três lojas de operadoras de celular e perguntei por celulares 3G e ninguém sabia me dizer nada sobre eles ou sobre serviços.

Um parêntese (me lembrei agora): O serviço bancário também é, em relação ao Brasil, muito atrasado: faz-se pagamentos por cheques enviados pelos correios, as senhas dos cartões são de apenas 4 dígitos, não há possibilidade de tirar cheque nas máquinas (tem que pedir e leva mais de 15 dias para ficar pronto!) e não há chip nos cartões.

No que se refere a internet, no entanto, como já mostrei em outro post, há empresas oferecendo velocidade de 50mb/s, com TV e telefone no pacote com preços mais baixos do que o que temos a 1MB/s no Brasil só para a internet. Também há inúmeras redes sem fio gratuitas (Vancouver, Toronto, Montreal), como mostrei em outro post sobre a iniciativa do projeto "Ile Sans Fils" em Montreal. O projeto criou uma rede gratuita Wi-Fi com 400 pontos de conexão e mais de 60 mil membros.

Assim sendo, acesso sem muitas dificuldades e com uma ótima velocidade a internet em casa ou na rua, mas continuo sem um telefone celular.

Labels: ,



posted by Andre Lemos at 4:54 PM - Permalink - Postar um Comentário


Comments: Post a Comment